Dos dias 1º a 10 de novembro, visitantes poderão contar com vigilância nas ruas de Jaraguá

Texto: Marcio Cavalcante | Fotografia: Estêvão dos Anjos

A coordenadora-geral da 9ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas e diretora da Editora da Universidade Federal de Alagoas (Edufal), Elvira Simões Barretto, se reuniu nesta terça-feira (10) com a produção da Bienal e representantes da Secretaria Municipal de Segurança Comunitária e Convívio Social (SEMSCS) para traçar estratégias que garantam a funcionalidade da Bienal nas ruas do bairro de Jaraguá, de maneira a viabilizar o fluxo seguro dos visitantes do maior evento cultural do Estado. A reunião aconteceu na Fundação Municipal de Ação Cultural (Fmac) e contou com a participação de outras secretarias municipais.


Elvira Barretto reforçou o caráter público do evento, cuja proposta é agregar os mais diversos segmentos e pessoas de classes sociais diferentes, garantindo que todos tenham experiências ricas e prazerosas de troca de vivências a partir da literatura, reunindo valores sociais e culturais, e possibilitando que os dez dias de Bienal ocorram com segurança e tranquilidade.

A produtora artística Adriana Manólio destacou a importância do envolvimento das secretarias municipais para garantir a estrutura necessária para realização da Bienal. “É muito importante esse alinhamento porque a gente vai decidindo e desenhando essa Bienal de uma forma conjunta, observando as especificidades de cada setor e entendendo como a gente pode fazer para que todo mundo fique satisfeito”, disse.

“A gente está fazendo um evento que tem uma grandiosidade para Maceió, para Alagoas e para o Brasil. Então, é muito importante que a literatura seja protagonista dessa história. E essa boa vontade que estamos recebendo de todas as secretarias municipais é que nos dá a certeza de que a 9ª Bienal vai ser um marco na cidade e vai contemplar a maioria das pessoas, entrando para a memória como um evento ousado, mas com muito sucesso”, garantiu.

Participaram também da reunião servidores representantes da Superintendência Municipal de Energia e Iluminação Pública (Sima), da Secretaria Municipal de Economia (Semec), além da Fundação Municipal de Ação Cultural (Fmac), que, como anfitriã, está possibilitando as negociações entre as diversas secretarias da Prefeitura de Maceió e a produção da 9ª Bienal de Alagoas.