Até a manhã deste sábado (9), penúltimo dia do evento, foram publicadas 177 matérias e mais de 550 fotos só no blog da Bienal

Texto: Thâmara Gonzaga


Texto, som, fotos, imagens, vídeos e muita interação com o público nas redes sociais. A cobertura das principais atrações da 9ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas, evento promovido pela Ufal, pôde ser acompanhada pelo site, Instagram, Facebook e também pela rádio.

O desejo dos organizadores do maior evento literário e cultural do Estado era que você pudesse aproveitar tudo de pertinho e visto como o bairro de Jaraguá esteve movimentado, repleto de atividades durante esses últimos dias. Mas quem acompanhou as publicações nas mídias oficiais, teve uma ideia de tudo o que aconteceu. Até a manhã deste sábado (9), penúltimo dia do evento, foram publicadas 177 matérias no site e mais de 550 fotos. Nas redes sociais, a participação do público chamou atenção. “O que mais surpreendeu foram as marcações, as menções das pessoas querendo mostrar que estavam aqui participando. E isso nos ajudou muito na hora de produzir conteúdo”, destaca Camila Fialho, programadora visual e integrante da equipe de Redes Sociais.

Estudantes e profissionais das áreas de Jornalismo, Relações Públicas, Design, Fotografia e Audiovisual se dividiram entre as atribuições de divulgar palestras, mesas-redondas, conferências, homenagens, lançamento de livros, bate-papo com autores, contação de histórias e atrações culturais. No total, foram 35 pessoas trabalhando para que a 9ª Bienal de Alagoas pudesse ser acompanhada pelo maior número de pessoas.

A maioria da equipe foi formada por estudantes do curso de Comunicação e Design da Ufal. Manoel Júnior, graduando de RP, e Dayvison Oliveira, de Jornalismo, trabalharam na edição anterior como monitores de apoio. Em 2019, eles atuaram diretamente em suas áreas de formação. Publicando e monitorando as postagens no Instagram e no Facebook da Bienal, Manoel Júnior conta que “está sendo uma experiência incrível para área profissional”. E destaca: “Estou gostando bastante. É muito empolgante e venho trabalhar muito feliz”. Para Dayvison, trabalhar na Bienal Alagoas também tem sido “maravilhoso, fantástico”. Já a estudante de Jornalismo, Blenda Machado, colaborando na Rádio Ufal, afirma que “ser monitora de comunicação do evento, além de garantir experiência profissional, permite fazer um networking importante para a carreira”.

Trabalho em equipe

Sobre a missão de orquestrar todo esse trabalho durante os dias do evento, a coordenadora da Assessoria de Comunicação (Ascom) da Ufal, Lenilda Luna, ressalta: “Comunicação é um trabalho coletivo e a Ascom da Ufal tem uma equipe muito boa, comprometida, que vai fazendo seu trabalho, rearrumando as questões que aparecem de última hora e que fez um esforço para cobrir toda essa diversidade de eventos”. E destaca: “A equipe de servidores, contratados, e monitores se desdobraram para mostrar a beleza dessa Bienal em imagens, textos e na rádio também”. A coordenadora afirmou que “o evento cresceu e ocupou as ruas de Jaraguá. São 18 locais diferentes, com atividades simultâneas para cobrir, e fizemos o esforço para que ninguém ficasse invisibilizado. Das atividades mais próximas até as mais distantes do centro do evento, foram cobertas, divulgadas, e isso graças a uma equipe que se desdobra e trabalha de forma integrada”.

Com a experiência de ter atuado na cobertura de todas as edições da Bienal, a jornalista Diana Monteiro argumenta que “a equipe de comunicação da Universidade sempre foi muito atuante e trouxe a prática de sua rotina cotidiana para o evento”. Ela também ressalta: “A Ascom da Ufal sempre conduziu de forma muito profissional a divulgação da Bienal e, o bom, é saber que essas ações sempre são ampliadas, a exemplo da transmissão pela rádio”. Ainda de acordo com a jornalista, “o evento é caracterizado por ser muito dinâmico e a Ascom consegue ter esse ritmo para texto, foto, vídeo e rádio, comprovando que a Ufal continua sendo a maior fonte de notícia do nosso Estado pelos relevantes trabalhos e ações, além de ser uma experiência de aprendizado incomparável para os jovens alunos”.