Apresentação com músicas do folclore tipicamente alagoano foi na Escadaria da Associação Comercial

Thâmara Gonzaga 



As crianças dos 3º e 4º anos do ensino fundamental, da Escola Municipal Jayme de Altavilla, encantaram o público da 9ª edição da Bienal cantando as músicas do Guerreiro, folclore tipicamente alagoano. A apresentação foi na escadaria da Associação Comercial de Maceió, na tarde desta terça-feira (5).

As peças musicais, de autoria dos mestres Benon e Venâncio, foram aprendidas durante as aulas de musicalização, que ocorrem uma vez por semana, com o professor de Música Aristides Moraes.

O grupo de estudantes estava empolgado em poder apresentar tudo o que tinha ensaiado. Lívia Beatriz, 10 anos, e Isabelly Victória, 9 anos, contaram que gostam das aulas de música porque “aprendem muito”. Já Letícia Emanuele, 10 anos, afirmou que as canções de Guerreiro “trazem alegria e lembranças do bisavô que já participou de uma guerra”. Já Felipe Severo Ferro, de 10 anos, conta que durante as aulas também aprende sobre “o nosso estado de Alagoas”.

Ao falar sobre musicalização, o professor Aristides Moraes destacou que o processo auxilia as crianças a desenvolverem “a apreciação musical e a capacidade de selecionar desde cedo, além de ensinar muito sobre o nosso local, uma vez que as canções são do coco de roda, da música popular brasileira, ou seja, músicas que representam a nossa cultura”.



Bienal 2019

Com o tema Livro aberto: leitura, liberdade e autonomia, a 9ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas ocorre até o dia 10 de novembro, nas tradicionais ruas e prédios históricos do bairro de Jaraguá, com uma vasta programação literária, cultural e acadêmica.

O evento é uma realização da Ufal, por meio de sua editora, Prefeitura de Maceió e Governo de Alagoas. Com o patrocínio dos parceiros Sesc, Sebrae, Doity Plataforma de Eventos, Sesi e Senai.