Atividades são realizadas térreo da Associação Comercial; local onde também acontece uma palestra na noite deste sábado (2)

Texto: Diana Monteiro e Pedro Ivon
Fotos: Emídio Ferraz e Pedro Ivon


A premiada escritora paulista Aline Bei, abriu, na manhã deste sábado (2), a programação da atividade intitulada Oficinas de Literatura, no térreo da Associação Comercial, um dos espaços da 9ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas. Aline Bei é ganhadora do Prêmio de Literatura de SP em 2018 na categoria Melhor Romance de Autor com Menos de 40 Anos, com o seu primeiro romance O Peso do Pássaro Morto,  escrito em 2017. Também venceu o Prêmio Toca, criado pelo escritor Marcelino Freire.

A interação com os participantes, formado por um eclético público, fez parte da dinâmica da atividade, onde o estímulo à escrita foi expressado pela escritora: “Todo mundo pode escrever um livro, porque a língua é nossa e a escrita também, mesmo sendo a literatura uma das áreas mais fechadas pelos gêneros existentes. Não precisa ser o melhor escritor para publicar. Escrever requer aprimoramento”.

Em breve retrospectiva, a escritora, que é graduada em Letras, disse que desde a infância perseguiu a vontade de seguir a desafiante profissão que considera uma escolha de vida. “Encontrei resistência na minha própria família, mas segui adiante. Fiz teatro, pois a arte sempre foi um contexto de minha vida e não um hobby. Há muitos obstáculos, mas a gente precisa acreditar muito no caminho a seguir. Eu já me sentia escritora, antes mesmo de lançar o livro”, frisou Aline.



Segunda Oficina

Aconteceu, na tarde deste sábado (2), na sala Jaraguá da Associação Comercial, , a Oficina de Escrita Criativa, ministrada pela escritora carioca Carol Rodrigues. A atividade teve o objetivo de estimular uma produção de texto livre, sem se prender a gêneros literários.

“A ideia é escrever bastante e depois ler os textos e analisar. E todo mundo comenta junto”, explicou Carol sobre a oficina. A escritora também falou que seu lema é “distraídos venceremos”, tirado da obra de mesmo nome, do escritor Paulo Leminski. Segundo Carol, a maior parte das coisas que acontecem na vida não são planejadas.

Os participantes da oficina receberam papel e caneta e iniciaram as atividades, que seguiram o pensamento da escritora e não se prenderam a uma fórmula específica, buscando estimular a criatividade dos participantes. A oficina contou com a participação majoritária de jovens.

A escritora carioca ganhou o disputado Prêmio Jabuti e também o da Fundação Biblioteca Nacional 2015, ambos na categoria Contos com o seu primeiro livro, Sem Vista para o MarNa última quinta-feira (31), Carol lançou sua nova obra, O Melindre nos Dentes da Besta, romance que trata de “um prisioneiro que é largado em uma ilha, sem nome, estranha”, como ela descreve. 

Mais programação

Também está programado no térreo da Associação Comercial, neste primeiro dia do evento, das 18h às 19h, a palestra Centenário da Academia Alagoana de Letras, com o professor Alberto Rostand Lanverly.

Promovida pela Universidade Federal de Alagoas, a 9ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas transcorre no histórico bairro de Jaraguá até o dia 10 deste mês, das 10h às 22h.