Orquestra é formada por crianças de 8 aos 12 anos de idade, residentes na zona rural do município

Texto: Diana Monteiro


Fotos: Blenda Machado





Com eclético repertório, da música sacra à regional, como Asa Branca, passando pela música popular brasileira, a programação cultural na Igreja Nossa Senhora Mãe do Povo, na tarde desta quarta-feira (6), foi marcada pela emocionante apresentação da Orquestra de Flauta Doce Nilde Cunha, formada por crianças oriundas de uma escola de tempo integral da zona rural do município de Porto de Pedras, localizado no Litoral Norte de Alagoas.

“É a primeira vez que a orquestra participa de um evento como a Bienal e para nós é uma honra muito grande pelo convite recebido para participar de dois dias do evento. A segunda apresentação será no próximo sábado, na Praça Dois Leões, a partir das 14h”, frisou a secretária de Educação de Porto de Pedras, Márcia Cunha, que estava acompanhando o grupo.






Acompanhada de violão e bateria, e abrindo a apresentação com a conhecida canção Aleluia, a orquestra recebeu muitos aplausos da plateia, em sua maioria formada por estudantes do nível fundamental I da Escola Estadual Maria Rosália Ambrósio, instalada no Cepa, bairro do Farol.


A Orquestra de Flauta Doce é formada por 40 crianças, de 8 aos 12 anos de idade, foi criada há três anos e tem como regente o maestro Miguel, natural daquele município. Tem se apresentado em vários eventos em Alagoas. Após a apresentação, o grupo aproveitou para conhecer o que a 9ª Bienal Internacional do Livro promovida pela Ufal vem proporcionando à comunidade alagoana.