Aposta foi em muita rimas e colorido para atrair o público infantil
Texto e fotos: Dayvson Oliveira




É de pequeno que se aprende. Contando a história do peixe Bído, a pedagoga Marília Costa trabalhou temas como preconceito, aceitação e consciência ecológica. A mensagem principal foi respeito, seja à cor, raça, origem ou mesmo ao meio ambiente. A atividade foi realizada na tarde deste domingo, na praça da Igreja Nossa Senhora Mãe do Povo.
A paixão de cortar papéis e criar objetos vem desde pequena. E a autora caprichou nos detalhes. Com ilustrações bastante coloridas, as crianças ficaram encantadas e não tiraram o olho da apresentação. Prova disso, foram as diversas perguntas que não esperaram nem o final da sessão. Os responsáveis acompanharam de perto a empolgação da turma.
Maria Vitória, de apenas 8 anos, chegou cedo para assistir a contação de histórias. Assim que a pedagoga falou sobre poluição do oceano, Maria lembrou do problema do óleo nas praias do Nordeste e destacou um hábito que é exemplo: "Eu evito jogar lixo nas ruas. Em todo lugar que eu chego, eu procuro uma lixeira", falou, se dirigindo ao lixeiro mais próximo para jogar uma garrafinha pet.

Marília costumava ter mais experiências profissionais com adultos, mas, depois da maternidade, sentiu a necessidade de conscientizar crianças sobre temas de relevância. "Essas coisas me incomodam e eu tento passar de uma forma simples. É difícil simplificar toda essa complexidade, mas precisa ser trabalhado. Eles são o futuro do Brasil", finalizou.
E para quem gosta leitura e quer incentivar a criançada, tem programação de segunda a sexta, às 9h e às 14h, também na praça da igreja. No sábado, a contação de histórias começa um pouco mais tarde, às 10h30.