Artista também realiza Sarau no mesmo dia

Texto e fotos: Dayvson Oliveira

O Espaço Sesc na 9ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas proporcionou um domingo repleto de poesias. A partir das 14h, o poeta Pedro Bomba compartilhou da sua trajetória e processo criativo, em seguida coordenou uma atividade prática para que os participantes também produzissem. O aracajuano volta mais tarde com o Sarau Extremamente barulhentos certos assuntos, por exemplo, que acontece às 20h, no mesmo local.

Na palestra, o escritor dividiu algumas curiosidades, como o costume de fazer anotações sempre que está conversando com alguém. Já no grupo de trabalho Literatura pela boca: o poema da voz, trouxe um pouco do que é trabalhado no Laboratório Voz e Poesia Falada. O público recebeu dicas para se aproximar de sua oralidade poética impecável. Quem esteve presente, ouviu em primeira mão alguns dos poemas que serão recitados no sarau.

Fernanda Donária, não tem muita experiência com poemas, mas foi atraída pelo tema. Assim como ela, a maioria ficava boquiaberta com a habilidade do autor no jogo de palavras: "Ele faz uma mistura de política, romance, achei bem interessante", comentou Donária. Em um de seus livros, Pedro transforma uma crítica ao presidente com humor e sarcasmo.

Dentro da programação, ocorre o lançamento do mais novo livro dele: Para quem não sabia nadar, que marca sua estreia como contista. "É um livro com três contos e esses textos têm muita referência das coisas vividas na minha cidade, Aracaju", antecipou. O conto que dá título ao livro, fala sobre uma jovem que não sabia nadar, mas que em uma situação de aperto, conseguiu o impossível.

O trabalho do artista, além da ligação com a música, possui uma relação perceptível com a literatura de cordel. Ele diz que o gênero textual "supera uma situação de negligência social, que é o direito a educação". Além de seus livros, é possível conferir suas criações por meio da plataforma SoundCloud ou também em seu canal no YouTube, onde recita poemas.