Identificação e encaminhamento das vítimas também foram assuntos abordados

Texto e fotos: Amanda Alves



Na manhã deste domingo (10), ocorreu a palestra A violência contra crianças e adolescentes e a notificação compulsória pelo profissional de saúde em Alagoas, ministrada por Daniela Nobre, acadêmica em Enfermagem. Os principais temas debatidos foram a definição de violência pela OMS, leis que criminalizam o ato, ficha de notificação compulsória, formas de denúncia e encaminhamento.

Nobre relata o que trouxe em sua palestra. "Eu tentei trazer para a palestra não falar só sobre a questão da violência contra a criança e o adolescente, que é importante. Mas, principalmente como os profissionais de saúde tem se comportado, de tem notificado, se não tem, a questão da subnotificação em nosso estado, porque a gente sabe que Alagoas é considerado o estado que mais tem violência no Brasil. Mas, quando vamos olhar nos índices, não estão tão altos", explica.



O objetivo da apresentação da discente foi mostrar alguns motivos pelos quais os profissionais da saúde não estão notificando esses casos, como identificar e para onde encaminhar a vítima. "As vezes a gente não consegue nem identificar, não temos um olhar humanizado para identificar o que está passando naquele momento. Então, quando a gente identificar, o que eu faço com ele? Eu fico com ele para mim, encaminho ou notifico?", destaca.

A discente, que já participou de outras edições da Bienal, revela que essa é a sua primeira vez como palestrante. "Esse ano eu achei a Bienal mais didática, pelo fato de não estar centralizada em um único local. Então, você acaba que conhece um pouco mais de Maceió", finaliza.