Feira de Livros acontece das 10h até às 22h no Espaço Armazém

Texto e Imagens: Pedro Vianna




A realização da 9ª Bienal Internacional do Livro em Alagoas, que acontece até o dia 10 de novembro nas ruas do bairro histórico de Jaraguá, trouxe uma nova experiência para os expositores que estão aproveitando o ritmo de vendas com os visitantes que também estão desfrutando de todas as atrações que estão acontecendo pelo bairro.

Para a professora Lídia Ramires, expositora do estande da Editora da Universidade Federal de Alagoas (Edufal), as vendas estão seguindo as expectativas com um destaque maior para os momentos de lançamentos em sessões que acontecem sempre às tardes e noite, onde, segundo a mesma, as vendas costumam aumentar um pouco. 

“Ainda não temos um panorama concreto a respeito de como estão se saindo as vendas aqui neste novo modelo de Bienal no Jaraguá. O final de semana sempre é atípico, com a passagem das escolas e o vale-livro, a tendência é aumentar. No entanto esses números ainda não estão consolidados, mas o movimento está muito bom e bem maior do que a última edição, por exemplo”, explica.

No estande da editora Expressão Popular que possui uma relação com movimentos sociais e hoje completa vinte anos de existência, o expositor Anderson Lima, explica que apesar de não ter feito ainda uma avaliação profunda das vendas, também declarou que até o momento, sempre aos finais de semana, o ritmo aumenta.



“A observação prévia que a gente faz da bienal é que essa edição parece que trata-se de algo diferenciado das outras, mas positivamente falando, pelo fato de vermos que é uma Bienal descentralizada em uma região importante para Alagoas e para a população alagoana, principalmente, porque é um ponto onde encontramos diversas atividades culturais; é um patrimônio tombado, com museu e todo o resto. Então a principal avaliação que a gente faz da Bienal é que foi um local acertado”, pontua.

Sobre as próximas edições, possivelmente no mesmo modelo, o expositor conclui, “A nossa esperança é que realmente continue no mesmo espaço aqui no Jaraguá, para valorizar ainda mais essa região e também fazer com que as pessoas que não frequentavam o espaço da bienal em outros locais, passem a se sentir parte, não só as que estão visitando como também os comerciantes que trabalham na região”.