O professor Amosiel Feitosa apresentou a importância da atuação das mulheres nas comunidades quilombolas

Texto e fotos: Pedro Vianna


A tarde do último dia do maior evento literário de Alagoas foi palco para a representatividade das comunidades quilombolas de Água Branca com a palestra Os Quilombos do Sertão e as líderes quilombolas: mulheres, arte, cultura e empreendedorismo, com o professor Amosiel Feitosa. 

O momento aconteceu no Espaço Sebrae e trouxe reflexão sobre como a cidade do interior do estado de Alagoas possui o maior número de comunidades quilombolas certificadas: seis ao todo. Segundo Amosiel, o lugar que possui muitas construções coloniais foi construído pelas comunidades negras mas que acabaram sendo invisibilizadas com o tempo. 

“Essa marginalização e invisibilidade me deu vontade de investigar onde foram parar essas pessoas”, explica o professor, que a partir disso, acabou descobrindo que a comunidade negra da cidade estava localizada nos quilombos existentes. “Percebi uma coisa mais curiosa, ainda, todos os quilombos de Água Branca são liderados por mulheres desde sempre. O papel feminino se encontra no centro. Isso é importante dentro da realidade social do Sertão que ainda pode ser considerada como mais retrógrada”, lembra.

O Quilombo da Serra das Viúvas e o artesanato

Localizada a 7 km de distância do município de Água Branca, em Alagoas, a comunidade Quilombola Serra das Viúvas possui cerca de 600 moradores, distribuídos em 70 famílias. As atividades econômicas desenvolvidas em Serra das Viúvas são a agricultura de subsistência, a criação animal, a transformação artesanal, o artesanato e o turismo.

A Associação das Mulheres Artesãs Quilombolas Serra das Viúvas é o destaque nacional e internacional do quilombo. O Sebrae é um dos auxiliares da expansão desse artesanato com uma solução de empreendimento para as mulheres.