Autor de dois livros publicados, o alagoano contou na Bienal como aproveita a riqueza nutritiva dos alimentos do Sertão


Texto: Fabiana Soares
Fotos: Manuel Henrique


Apaixonado pela culinária, Timóteo Domingos contou um pouco de sua história e de como enfrentou as dificuldades de viver no sertão alagoano. A atividade aconteceu no Espaço Sebrae, neste último domingo da Bienal (10).

Hoje, aos 22 anos, o alagoano tem muitas histórias e experiências para compartilhar. Desde criança, Timóteo sempre teve curiosidade pela forma como a comida era preparada. Foi nessa fase que suas avós o incentivaram a cozinhar. Ele lembra que considerava a cozinha um ambiente mágico, pois era lá onde as transformações gastronômicas aconteciam.

Pegou tanto gosto pela arte de cozinhar que atualmente faz disso sua principal fonte de renda. Escreveu seu primeiro livro Gastrotinga e, recentemente, lançou o livro Subsistência, caminhando rumo ao terceiro, cujo nome ainda não revela. Em cada obra o autor conta suas experiências de vida, explica sobre os ingredientes, plantas, ervas, frutos, desde os valores nutricionais, até a forma de utilização.

Timóteo explica que os ingredientes se tornam especiais, porque não se trata apenas de reaproveitar os alimentos. Segundo ele, é uma mistura de infância difícil com paixão pela culinária, usando jurema, cactos, umbu, como exemplos do que antes eram consumidos apenas por animais, mas que hoje se tem conhecimento do alto teor nutritivo e benefícios que oferecem como alimentos.